pesquisar neste blog
posts recentes

#34, #35, #36 - agora é moda

#27, #28, #29, #30, #31, #32, #33,... não, são mesmo só estes

#25 e #26 – Working hard or hardly working?

#23 e #24- Modelos (ou ausência deles)

#22 - WebQDA Inativo

#21 - A pensar no tratamento de entrevistas

#17, #18, #19 e #20 - Fim das Transcrições

#14, #15 e #16 - Não há dois sem três

#12 e #13 - return 1

#11 - Empreendendo

arquivos

Maio 2015

Abril 2015

Março 2012

Fevereiro 2012

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Sexta-feira, 6 de Maio de 2011
UX - PhD MMEd

O prof Carlos Santos no FB deu o mote para uma reflexão da dimensão de UX no PhD em Multimédia em educação.  Há algum tempo (e precisamente no contexto de uma UC – MAC) interessei-me por este conceito a propósito do desafio de construir uma UC de Cultura Digital.

Algumas dimensões do UX pareceram-me que além de relevantes podiam ser facilmente implementadas. Digo “facilmente” porque pressuponho um estado de “open mind” nos alunos e professores – expectável no clima de investigação.

 

O esquema ao lado(retirado aqui) releva a complexidade do processo norteado por uma dicotomia entre a maturidade na consciência das opções e dos riscos que em cada momento devem ser assumidos fora da zona de conforto

Já em 2005 aqui  era colocada uma questão que podia ser datada com o dia de hoje:


“why have so few academic institutions jumped on this opportunity?
Seems to me that UX education is natural for liberal arts programs. By definition, they're multidisciplinary. Many are looking to reach students interested in new media. And applied UX would provide an obvious path to partnerships with and, eventually, funding from the private sector”.


Pessoalmente e remetendo para a experiência das Ucs no PhD de MMEd  sempre tentei  determinar a minha agenda em termos de interesses – claro que integrados nas Ucs. Tive sempre o privilégio de trabalhar com colegas de grupo e (claro) com professores que o permitiram e em alguns casos o fomentaram, orientando através da abertura não impositiva a outras perspectivas.

Foi um self-designed UX curricula?

Não, de facto não foi – nem no espaço, nem no teor nem no tempo.

Mas foi certamente um quasi  group-designed UX! ;)

Gostarei de ver o passo seguinte!
 

 

 


tags: ,

publicado por fpais às 22:55

2

De carlossantos a 9 de Maio de 2011 às 16:42
Fátima, obrigado pela tua participação na discussão.
Reparei que no artigo citado também é utilizado o termo "UX Curriculum". No entanto, nesse contexto, o termo está relacionado com a discussão da criação de um curso para ensinar UX.
A nossa discussão centra-se noutros aspectos. Não queremos ensinar UX. Queremos é olhar para o actual currículo de um programa doutoral e atribuir-lhe algumas características diferenciadoras que possam potenciar a experiência pessoal dos alunos/investigadores.

Talvez seja um pouco confuso. Esperamos que o texto para a conferência possa ajudar a clarificar as ideias :)


De fpais a 9 de Maio de 2011 às 21:50
:)
Percebi!


Comentar post

mais sobre mim
Maio 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


tags

todas as tags

subscrever feeds

RSSPosts

RSSComentários

RSSComentários do post